iBooks desktop: os livros digitais invadem o Mac

Márcio Duarte, em 10/06/2013. Categoria: Notícias 18

iBooks no finderOs aficcionados por leitura digital e por Macs tiveram uma boa notícia hoje: foi anunciada durante o Keynote da WWDC 2013 uma nova versão desktop do iBooks, o aplicativo de leitura da Apple, antes disponível apenas nos iDevices: iPad, iPhone e iPod Touch. O programa rodará na próxima versão do sistema operacional da Maçã (OS X 10.9 Mavericks).

Não há dúvida que o iBooks é um dos aplicativos de leitura mais avançados do mercado, com bons recursos de compartilhamento de anotações, capacidade superior de apresentação do conteúdo do livro, além de boa seleção de fontes e modos de leitura, mas a novidade é menos relevante sem uma versão para Windows – aqui o limitado Adobe Digital Editions ainda é uma das opções mais populares.

Não que uma versão Windows não possa acontecer. À exemplo do iTunes, que roda com loja e tudo naquela plataforma, é provável que a Apple busque expandir sua loja de eBooks, a iBookstore. A tendência multiplataforma é clara: no mesmo evento foi anunciado que os aplicativos do pacote iWork, como Keynote, Numbers e Pages rodarão na nuvem da Apple, via browser, mesmo no Internet Explorer!

Múltiplos dispositivos

Experiência de leitura integrada, mas só no Mac!

No monitor, leitura fragmentada

De forma geral, a experiência de leitura de eBooks no desktop ainda é muito irregular, restrita à cada plataforma e marcada por sistemas proprietários, que não conversam entre si. Mesmo a dobradinha PDF/Adobe Reader oferece melhor experiência de leitura nesse aspecto, e ainda reina absoluta nos computadores de mesa. Uma ação simples como compartilhar uma anotação via desktop é cheia de empecilhos em um ePUB – experimente criar e compartilhar anotações entre vários dispositivos, de diversos fabricantes, a partir de um mesmo livro digital e sinta todo o drama…

Ainda que não seja o ideal, muita gente por aí lê textos extensos diante de um monitor, e a praticidade de um PDF para tarefas simples como compartilhar notas ainda está para ser desafiada. Um aplicativo de leitura de eBooks gratuito, com recursos de sincronização na nuvem, multiplataforma e capaz de interpretar os melhores recursos do ePUB3, será um enorme avanço para a leitura digital.

O iBooks para desktop é um belo passo nessa direção, mas esperanças maiores residem na iniciativa da Readium Foundation, que recentemente lançou o Readium SDK, um motor de renderização de código aberto para livros digitais em ePUB3 e o Readium.js, uma biblioteca em Javascript para leitura deste tipo de eBook diretamente no navegador: ambos facilitarão muito o desenvolvimento de novos programas de leitura para múltiplos dispositivos e, principalmente, independentes de plataformas comerciais.

iBooks desktop: os livros digitais invadem o Mac é um artigo do blog PageLab

Indesign CC e os eBooks: pequenos mas bons avanços

Márcio Duarte, em 07/05/2013. Categoria: Notícias 9

Atualizado em 11/06/2013: lista completa de novidades na exportação para ePUB no CS6

Ícone Indesign CCNovidades no front do digital publishing: o pacote de programas da Adobe agora se chama Creative Cloud, ou CC para os íntimos, e com ele, surge uma nova versão do Indesign (Indesign CC), com algumas boas – mas ainda tímidas – novidades na exportação para ePUB.

Algumas são importantes, como a manutenção do índice do livro com todos os links no arquivo ePUB exportado. Outras, obrigatórias, como a otimização da exportação de código que, cá para nós, ainda tem muito chão pela frente.

Obviamente, seria necessário testar o programa para ter a dimensão das mudanças, mas pelas informações encontradas por aí e pelos vídeos de apresentação, não foram mudanças radicais, mas aperfeiçoamentos das funções existentes, esperados há muito tempo.

Detalhes da nova Janela de exportação de ePUB do Indesign CC: poucas mudanças

Veja abaixo um vídeo com alguns do novos recursos:

No impresso sim, mas na web?

O impresso ainda é uma mídia fundalmental, e a posição do Indesign como hub desse universo deve ser preservada por muito tempo. Mas o programa é um elefante branco quando se considera a criação de eBooks, com uma interface nascida para lidar com pedaços cortados de papel – as páginas. Não faz muito sentido utilizá-lo para conteúdo web com o grau de complexidade e controle exigido hoje em dia.

São universos muito distintos e seria interessante ver, com o tempo, soluções de autoração mais adequadas para fazer valer o potencial do livro eletrônico. Quem sabe mais um novo integrante da família Edge?

O inescapável Indesign

Vamos aos fatos: se o seu conteúdo já foi produzido no Indesign, não há como escapar, é preciso fazê-lo sair do outro lado da exportação na forma de HTML. O lado bom e que, com a nova versão, a Adobe dá sinais de compromisso com o desenvolvimento do formato aberto de livros digitais, ainda que o foco seja claramente sua solução de publicações digitais, o Digital Publishing Suite.

Saiba mais

Lista de melhorias relevantes para criação de eBooks:

  • Estilos de objeto agora incluem as opções de mapeamento de tags (export tagging options) e exportação de objetos;
  • Itens do índice e do sumário nativos são convertidos em links durante a exportação, melhorando a navegação no ePUB;
  • Otimização do código gerado, principalmente em relação à listas;
  • O ePUB pode ser exportado sem arquivo CSS algum.

No AdobeTV você encontra uma seção de vídeos exclusiva sobre o novo Indesign CC e os novos recursos para ePUB.

No IndesignSecrets há também um documento PDF oficial com as novidades em relação ao Indesign CS6.

Digital Publishing 2012: retrospectiva

Márcio Duarte, em 30/12/2012. Categoria: Blog, Notícias 4


O que mais marcou o mercado editorial digital em 2012? Esse foi um ano agitado para o digital publishing, com a chegada de grandes players internacionais (Amazon, Apple e Kobo), abertura de lojas online, parceiras com editoras daqui, avanços técnicos dos dispositivos, especificações e por aí vai. Para fazer um apanhado dessas notícias, apresento aqui no PageLab uma linha do tempo interativa com a restrospectiva, que você encontra clicando no botão abaixo.

Digital Publishing: linha do tempo 2012

É interessante ver o contraste entre grandes lançamentos de aparelhos ultra-modernos e o desinteresse em relação à leitura no Brasil, apresentado na pesquisa Retratos da Leitura. Espero que, de 2013 em diante, esse quadro se reverta, e essas “modernidades” possam contribuir para que as pessoas tenham mais acesso e interesse pelos livros.

Não gosto muito de previsões, mas tudo indica que o ePUB3 se consolidará cada vez mais no mercado (apesar do protecionismo) e livros digitais feitos com cuidado e inspiração devem ser cada vez mais valorizados!

Obrigado pela sua visita ao blog neste ano! Um excelente 2013!

Crédito da foto deste artigo: Dominic’s pics (cc)