Atualização do Adobe Digital Editions

Márcio Duarte, em 05/08/2013. Categoria: Blog 2

Ícone do ADEO Adobe Digital Editions, programa de leitura de eBooks da Adobe, acaba de receber mais uma atualização, agora na versão 2.0.1. Aparentemente, nenhuma adição de funcionalidades, ou mesmo alteração na interface do programa.

Não há, no site da Adobe, nenhuma referência oficial a melhorias (apesar de algum buxixo no twitter), o que leva a crer que essa é uma atualização lançada apenas para resolução de pequenos problemas.

Em alguns testes que realizei comparando as duas versões do programa, não pude detectar diferença significativa entre a versão anterior e esta, ao menos em relação à apresentação do conteúdo.

Evolução lenta

Melhorias significativas no ADE tem sido escassas ultimamente, o que revela a lentidão na evolução do formato ePUB no mercado como um todo. Como o programa é baseado em um dos principais sistemas de renderização de eBooks – o Adobe Reader Mobile SDK, utilizado por uma grande parcela dos eReaders e aplicativos de leitura –, a versão corrente do ADE representa de forma geral as possibilidades do ePUB em boa parte dos aparelhos à venda atualmente.

Por exemplo, recursos fundamentais como suporte a formulas matemáticas (MathML), múltiplas orientações de dispositivos e tamanhos de tela (Media Queries) e leitura em voz alta (Media Overlays), presentes na especificação do ePUB3 já há algum tempo, ainda não tem data para estrear no sistema, reduzindo a flexibilidade do formato aberto de eBooks nos sistemas de leitura que utilizam o Adobe RMSDK, que acaba sendo mais indicado para livros de texto mais simples.

Mais info

Testando seus ePUBs: Calibre Content Server

Márcio Duarte, em 01/05/2012. Categoria: Dicas, Laboratório do eBook 8

Atualização (21/01/2013): o app Calibre Companion facilita um pouco esse processo. Saiba mais

Apesar da maior parte dos dispositivos e aplicativos de leitura de livros digitais se basearem em apenas dois motores de renderização de eBooks, – Webkit e Adobe Reader Mobile SDK – não é raro encontrar variações na interpretação do código entre os programas que usam o mesmo motor, principalmente em livros com formatação mais complexa, simplesmente por que há diferentes versões e implementações desses engines. Na prática, testar o seu ePUB para garantir a ele o título de “livro multiplataforma” acaba indo além de validá-lo somente no iBooks (Webkit) ou no Adobe Digital Editions (RMSDK), dois dos maiores representantes dos referidos motores. É recomendável testá-lo também em outros programas e aparelhos de leitura, um processo que, geralmente, leva tempo e, na grande maioria dos casos, não conta com ferramentas especializadas para isso (Nota: em breve um post sobre quais eReaders e aplicativos são mais recomendados para testar seus eBooks).

Sem fios!

No caso dos eReaders com tela e-ink, as opções padrão se limitam a conectar o dispositivo ao desktop via USB para ter acesso ao espaço de armazenagem interno e só então copiar o seu livro para a pasta correspondente, de forma direta, via sistema, ou com a ajuda de outro programa, como o ADE, em um processo conhecido como sideloading. Para visualizar se a sua alteração no código foi bem sucedida, é necessário ejetar esse volume interno e, só então, atualizar a biblioteca do dispositivo… isso para cada dispositivo de teste. Executar uma tarefa como essa repetidas vezes, ao longo de semanas, não é nada produtivo.

Mas no caso de tablets e smartphones, há mais flexibilidade no processo de sideloading, que pode ser feito via Wi-Fi ou mesmo remotamente, pela web. Nesta série de artigos, veremos quais são as principais opções para testar seus livros com mais eficiência nas principais plataformas do mercado, suas vantagens e desvantagens, começando pelo…

Calibre Content Server

O Calibre, velho conhecido gerenciador de livros digitais para múltiplas plataformas, pode ser usado como um servidor de arquivos particular, baseado no sistema OPDS (Open Publication Distribution System) que é muito útil para testar seus livros diretamente via Wi-Fi, ou via web, nos programas que suportam o OPDS, como o Aldiko e o Moon+ (veja uma lista completa de programas que “conversam” com o Calibre). Assim, você pode simplesmente arrastar seu livro para a janela do Calibre e ele estará disponível diretamente na interface de adição de bibliotecas do programa de leitura do seu gadget Android que tenha acesso sem fio. Há outras opções para carregar arquivos remotamente, mas nenhuma oferece uma solução tão universal, especificamente voltada a eBooks como o servidor OPDS.

Biblioteca do Calibre e a interface do servidor de livros

Figura 1: Biblioteca do Calibre e a interface do servidor de livros

Mesmo nos dispositivos iOS (iPhone, iPad, iPod Touch), o servidor interno do Calibre é uma alternativa para carregar seus livros mais rapidamente nos programas de leitura sem conectar o dispositivo via USB. Abrindo o endereço do servidor do Calibre no Safari Mobile, é possível escolher em que aplicativo deseja abrir o arquivo ePUB: um recurso nativo do sistema da Apple.

Abrindo o servidor do Calibre pelo Safari Mobile, no iPad

Figura 2: Abrindo o servidor do Calibre pelo Safari Mobile, no iPad

Vantagens

  • Funcionalidade grátis e multiplataforma;
  • Atualização sem fios: é mais flexível que o sideloading tradicional via USB, permitindo que possa ser usado em vários aparelhos ao mesmo tempo;
  • Funciona com os aplicativos de leitura também no emulador do Android, caso você não tenha um dispositivo real (mais sobre isso, em um próximo artigo);
  • A solução mais universal para testar seus livros nos aplicativos de ePUB do Android (e em alguns eReaders também);
  • Pode ser usado também para criar a sua biblioteca pessoal na nuvem.

Desvantagens

  • Não é uma solução criada especificamente para produtores de eBooks, como o Book Proofer da Apple é para o aplicativo iBooks (iOS). Nele, o livro pode ser editado sem envio para a biblioteca e atualização no eReader, todo o processo é feito pelo aplicativo, que atualiza constantemente o iBooks a cada alteração. Mas como o Calibre não foi criado com essa finalidade, não há muita esperança nesse sentido.

Como usar

1º passo: no Calibre, vá até o menu “Preferências > Preferências” e clique na opção “Compartilhando pela rede”. Verifique as configurações e ative o servidor no botão “Iniciar servidor”.

Janela de preferências do Calibre

Figura 3: Janela de preferências do Calibre

2º passo: adicione o seu livro à biblioteca do Calibre;

3º passo: ainda no computador, verifique o seu número IP na rede local (saiba como encontrar o seu IP no Windows e no Mac).

Janela de rede nas preferências do sistema do Mac

Figura 4 : Janela de rede nas preferências do sistema do Mac

4º passo: abra o programa de leitura desejado (Aldiko, Moon+, FBReader etc) no seu dispositivo (tablet, smartphone) e localize a função para adicionar um novo catálogo. No Aldiko, por exemplo, clique no ícone de carrinho de compras, depois do botão do aparelho e em “Meus catálogos”. Clicando no botão “+” você adiciona um novo catálogo. Insira um nome para o seu catálogo e o seu IP, seguido da porta especificada nas preferências do Calibre. Um exemplo: 192.168.1.20:8080 (o valor após os dois pontos é o número da porta).

Inserção do endereço do servidor. À esquerda, no app Moon+, à direita, no Aldiko

Figura 5: Inserção do endereço do servidor. À esquerda, no app Moon+, à direita, no Aldiko

Abrindo o link para o servidor você encontrará todos os livros no catálogo do Calibre que estão no seu desktop. De lá você pode adicionar livro à biblioteca do aplicativo.

 Interface do catálogo no Moon+ e no Aldiko

Figura 6: Interface do catálogo no Moon+ e no Aldiko, com todos os livros da biblioteca criada no desktop

5º passo: Para visualizar no eReader as alterações no código do seu livro feitas a partir do desktop, adicione o livro novamente à biblioteca do Calibre e atualize o catálogo do aplicativo de leitura (clique no botão voltar do seu dispositivo e abra novamente o link).

Não há dúvidas que esse processo está longe do ideal. Testar livros nos ereaders, tablets ou smartphones ainda é um processo pouco eficiente, mas a solução oferecida pelo Calibre já auxilia nessa etapa. No próximo artigo da série, veremos como uma abordagem alternativa para testar seus livros durante o desenvolvimento: pela dobradinha Wi-Fi/FTP.

Atualização (21/01/2013): O desenvolvedor do Calibre lançou um aplicativo (Calibre Companion, pago, só para Android) para facilitar o gerenciamento de livros da sua biblioteca que pode ser usado para reduzir os passos para testar seus livros nos dispositivos Android. Em vez de abrir o servidor de arquivos do Calibre em cada app de leitura para atualizar o livro, como explicado neste artigo, o app oferece uma interface única, via WiFi, para carregar o seu livro em qualquer programa de leitura instalado no seu dispositivo Android (figura 7). Se você precisa realizar essa tarefa muitas vezes no Android, vale o preço.

Calibre Companion

Figura 7: Interface do Calibre Companion para carregamento de eBooks para os apps de leitura.

Lançado o Adobe Digital Editions 1.8 (preview)

Márcio Duarte, em 20/07/2011. Categoria: Notícias 0

Ícone do ADEUm dos principais programas de leitura de ePub, o Adobe Digital Editions está sendo atualizado para incorporar diversas mudanças estéticas importantes, finalmente. O preview da próxima versão, 1.8, já está disponível para download no site da Adobe. Além da interface mais limpa e do ícone em melhor resolução, foram várias as melhorias:

  • As fontes padrão agora são as excelentes Myriad Pro (sem serifa) e Minion (serifada). A aparência dos eBooks é mais profissional logo de cara;
  • A renderização do texto na tela ficou mais suave e os caracteres estão mais definidos;
  • A hifenização de texto agora é automática. Mais legibilidade e regularidade na mancha de texto;
  • Melhor acessibilidade: o texto agora pode ser lido em voz alta, tanto no Windows (com a ajuda do JAWS) quanto no Mac (Voice Over).

O suporte ao CSS, nesta versão pelo menos, não parece ter avançado muito, ao menos nos meus testes. Propriedades como border-radius, box-shadow ainda não funcionam como acontece no iBooks, por exemplo.

Este lançamento é muito importante para o mundo do eBook, pois a Adobe fornece programas para boa parte do mercado, e isso sinaliza o comprometimento da empresa com o ePub. O próximo passo mais lógico seria a empresa disponibilizar a atualização para o seu Reader Mobile SDK, que é a base de software de aparelhos como o Nook, Kobo, Positivo Alfa, Sony Reader, entre outros. Desde 2009, não há atualização significativa nessa parte importante do software dos eReaders, que precisam acompanhar com mais rapidez a evolução do ePub, que promete uma nova versão para o segundo semestre de 2011 (EPUB3).

Bom lembrar que essa é uma versão preview ainda, várias funcionalidades não estão presentes, como anotações, impressão e o envio de livros para os eReaders, mas é bom saber que a fila está andando :)