7 dicas salva-vidas para projetos de eBooks com iBooks Author

Márcio Duarte, em 09/11/2013. Categoria: Tutoriais 48

Dicas salva-vidas para iBooks Author

Após quase um ano envolvido diretamente com projetos de eBooks para iBooks Author – sobre o qual já falei várias vezes aqui no blog –, é hora de compartilhar algumas dicas úteis que resultaram dessas experiências.

O software é geralmente intuitivo, mas há algumas armadilhas escondidas pelo processo, que só são reveladas durante o trabalho (ugh!). Além disso, algumas operações que seriam simples à primeira vista demandam soluções um pouco mais criativas. Vamos às dicas:

1. Limite a quantidade de elementos multimídia para uma melhor performance de leitura

Por oferecer várias alternativas para conteúdo rico, é fácil aplicar esses recursos indiscriminadamente no iBooks Author. O excesso de imagens, vídeos, áudio, widgets e fontes pode prejudicar fortemente a performance do arquivo e dificultar o download, particularmente em iPads com conexão 3G.

De forma geral, é recomendado usar apenas os recursos que contribuam de verdade para o conteúdo, evitando o “oba-oba” de elementos sem propósito algum.

No caso de livros extensos, com muitos recursos multimídia, é recomendável ficar atento ao tamanho do arquivo final no formato .ibooks, a fim de mantê-lo em níveis aceitáveis, pois, por mais interessante que seja, poucos terão paciência para baixar um livro de 500 mb via 3G…

Confira no site da Apple mais orientações específicas sobre tamanho e performance de arquivos.

2. Faça microcorreções no livro fora do Mac

Vamos supor que seja necessária alguma alteração simples porém urgente no livro, e você só possui um PC à disposição. Se a correção for simples, pode ser feita no Windows mesmo.

A exemplo do ePUB, o arquivo gerado pelo iBooks Author para distribuição final, no formato .ibooks, não passa de um arquivo compactado (.zip) com arquivos XML, XHTML, imagens, fontes e vídeos.

Assim, pequenas alterações no texto do livro – como, por exemplo, a substituição ou a adição de acentos, pontos por vírgulas, traços por hífens, e palavras não editáveis pela interface do iBooks Author (leia a dica 3) – podem ser feitas em qualquer editor de código, em qualquer sistema operacional.

Apenas tome cuidado para não realizar edições muito radicais no texto, ou remover outras partes do código necessárias, pois sem dúvida elas afetarão o layout e podem até mesmo invalidar o arquivo.

Basta mudar a extensão de .ibooks para .zip para descompactar os arquivos do livro, que podem então ser editados no seu editor de código preferido, como o Notepad++, no Windows (figura 1).

Editando o conteúdo de um arquivo do iBooks no Windows

Figura 1. Editando o código do arquivo .ibooks no Notepad++ , no Windows

Após a edição do código, a recompactação pode ser feita por meio de algum dos vários utilitários de compactação de ePUB gratuitos disponíveis pela web. Ao fim desse processo, basta renomear a extensão do arquivo novamente para.ibooks para permitir que o iBooks o reconheça sem problemas.

3. Antes de iniciar um projeto, confira se o idioma do Mac OS é o mesmo do livro

Essa dica é fundamental! Verificar o idioma deve ser o primeiro passo em qualquer projeto (figura 2).

Janela de preferências de idioma no Mac OS X

Figura 2. Alterando o idioma do sistema nas preferências do Mac OS X.

O programa usa alguns rótulos de texto automáticos para descrição de seções e capítulos do livro, como as palavras “capítulo” e “seção“, localizados antes do número (figura 3).

Estes rótulos são extremamente úteis para numerar automaticamente os capítulos e seções.

O problema é que estes rótulos dependem do idioma do sistema. Se este está em inglês, por exemplo, eles serão configurados nesse idioma, definitivamente, e não há como alterá-los no iBooks Author, mesmo alterando o idioma do Mac após o arquivo ter sido salvo. :(

Rótulos automaticos no iBooks Author

Figura 3. Rótulos automáticos no iBooks Author

Mas se você já criou o seu livro de 800 páginas, em português, com seções no idioma em inglês, não se desespere. :) Ainda é possível alterar esses rótulos no código fonte do arquivo .ibooks gerado ao final do trabalho (figura 4), com a ajuda de um editor de texto, conforme descrevi na dica 2.

Editando o código no Sublime Text, no Mac

Figura 4. Buscando o texto a ser trocado no código HTML do livro.

4. Utilize um widget HTML para embutir PDFs

É possível embutir um PDF de múltiplas páginas no livro com a ajuda de um widget HTML personalizado. A técnica é muito simples e preparei um modelo de widget pronto para isso no link abaixo.

[download id="8" format="2"] Formato Zip » Tamanho: 25kb

Para usá-lo, faça o seguinte:

  • Renomeie o seu PDF para arquivo.pdf;
  • Baixe o widget e, no Finder, descompacte o zip;
  • Clique com o botão direito sobre o ícone do widget e escolha a opção “Mostrar conteúdo do pacote/Show package contents“ no menu contextual (figura 5);
  • Arraste seu PDF para o diretório-raiz do widget – substituindo o que está lá – e feche a janela. Pronto! Ele pode ser importado/arrastado para o documento do iBooks Author.

Menu contextual do Finder, no Mac OS X

Figura 5. “Mostrar conteúdo do pacote“ de um widget, no Finder

5. Use botões ocultos para visualizar tabelas, gráficos, vídeos e widgets em tela cheia

Em certas situações, pode ser interessante omitir tabelas, imagens, vídeos e outros elementos extra-textuais do fluxo normal de leitura, e criar links simples para eles dentro do próprio texto, abrindo-os em tela cheia, seja para economizar espaço ou para criar um visual mais “limpo”.

Nativamente, o iBooks Author oferece a opção de criar miniaturas de vários elementos e abrí-los em tela cheia, mas eles ainda ocupam espaço no layout.

É possível resolver a questão inserindo imagens transparentes no lugar dessas miniaturas. Assim, uma tabela, por exemplo, pode ser visualizada em tela cheia a partir de um trecho do próprio texto.

Como é mais simples mostrar do que descrever essa técnica, assista ao vídeo a seguir e baixe o arquivo .iba de exemplo para conferir a técnica na prática. A sequência de passos também está logo abaixo do vídeo.

[download id="9" format="2"] Formato Zip » Tamanho: 8mb

  • Crie uma imagem PNG transparente no seu editor de imagens. Escolha um tamanho equivalente ao ocupado pelo link no texto, pois ela será a área clicável para o leitor. Dimensões um pouco maiores facilitam o clique;
  • No iBooks Author, adicione um estilo qualquer ao texto que funcionará como um hyperlink falso – por exemplo, com uma cor, simulando um link real;
  • A seguir, selecione o elemento (imagem, vídeo, gráfico, widget) que deseja abrir em tela cheia e, no painel Inspetor, acione a opção de “Mostrar objeto como miniatura/Show object as Thumbnail”;
  • Substitua a miniatura padrão pelo PNG transparente criado no passo 1 e posicione o widget (que ficará invisível) abaixo do link.

6. Adicione formas complexas no documento (com a ajuda do Apple Keynote)

É fácil inserir ou desenhar formas básicas no iBooks Author, como quadrados, círculos, estrelas ou polígonos, mas formas um pouco mais complexas são inviáveis de se criar com precisão utilizando as ferramentas nativas.

Mas há uma solução para isso. Usando um pequeno script no Mac, é possível importar qualquer forma vetorial SVG (criadas no Inkscape ou Adobe Illustrator) para o Keynote. Daí, basta simplesmente copiar e colar diretamente para o iBooks Author, que é capaz de reconhecer objetos do Keynote nativamente. Essa formas mais complexas podem ser usadas para mascarar imagens e outros efeitos interessantes (figura 6).

Máscara complexa para imagem no iBooks Author

Figura 6. Forma complexa sendo usada como máscara para uma fotografia.

O script para colocar em prática essa dica é gratuito e pode ser baixado no site do autor. Há também uma versão para exportação nativa a partir do Adobe Illustrator.

7. Trabalhando com objetos em 3D dentro do livro

O iBooks Author permite a importação de objetos em 3D – no formato Collada (.dae) – que podem ser manipulados pelo leitor.

Embora permitam aplicações interessantes, esses objetos podem comprometer a performance do livro caso sejam muito complexos, ou, como dizem os experts em 3D, com “um alto número de polígonos”.

Segundo a documentação do programa, é preciso manter essa contagem de polígonos abaixo de 20.000 para suportar todas as versões do iPad, o que acaba limitando o uso desse recurso na verdade, pois modelos mais interessantes visualmente são naturalmente mais complexos.

A melhor opção é mesmo usar apenas objetos 3D simples. Um bom programa para gerá-los é o SketchUp, que possui uma versão gratuita (figura 7). Dentre os vários programas 3D que testei, foi o que gerou modelos no formato Collada de melhor compatibilidade com o iBooks Author.

Versão gratuita do SketchUP

Figura 7. Modelos 3d simples, construídos no SketchUp

Após criado o objeto 3D, é possível usar o plugin Cleanup – também gratuito – para reduzir a complexidade dos modelos. É rápido e os resultados são satisfatórios com as opções padrão.

* Para importação, o SketchUp só suporta os formatos 3DS e Collada . Se o seu modelo está em outro formato, você pode convertê-lo a partir do Blender, programa 3D de código aberto.

Crie widgets para iBooks Author com o iAD Producer

Márcio Duarte, em 23/06/2013. Categoria: Notícias 0

Ainda no rastro da recém finalizada WWDC 2013, uma novidade interessante para quem deseja adicionar mais recursos de interatividade e multimídia aos livros digitais produzidos com o iBooks Author: o iAD Producer, programa um tanto obscuro da Apple utilizado para montar anúncios para a plataforma iOS, foi atualizado (versão 4.0.1) para permitir o desenvolvimento de widgets personalizados para o iBooks Author, facilitando bastante o processo de criação de conteúdo interativo para livros no formato iBooks.

No contexto do iBooks Author, widgets personalizados oferecem a oportunidade de explorar animação, interatividade e multimídia dentro do livro, bem além dos recursos já oferecidos nativamente pelo programa, de forma completamente customizada.

Janela de seleção de modelos de widgets no iAd Producer

Widget HTML: o céu é o limite

Ícone de widgetO iBooks Author já oferecia uma opção para a inserção destes widgets customizados (por meio da opção “widget HTML”) mas a sua produção era completamente não documentada, e o desenvolvimento de algo mais complexo sempre esbarrava em questões de performance e otimização do código. O iAd Producer cuida de boa parte destas questões, otimizando o código do widget, facilitando testes nos dispositivos da Apple (por meio do Instruments e do app iBooks Widget Tester) e permitindo o desenvolvimento via WYSIWYG, com menos idas e vindas ao editor de código.

O programa é uma boa adição ao toolset de produção de widgets, unindo-se a outras soluções como o Tumult Hype e o Adobe Edge Animate – ambas excelentes, porém pagas e voltadas mais à animação do conteúdo em HTML de forma geral.

A exemplo do próprio iBooks Author, o iAD Producer 4.0.1 é gratuito, mas – infelizmente – só roda no Mac OS X 10.8.3 ou superior. Para baixá-lo, basta registrar-se gratuitamente no programa de desenvolvedores Apple.

Saiba mais

  • Baixe o programa na seção de desenvolvedores da Apple (necessário login)
  • Dois vídeos (1 | 2) de seções da WWDC 2013 sobre o iBooks Author e o iAd Producer – que podem ser assistidos também via app oficial para iOS
  • Documentação oficial sobre Javascript no iAd Producer

Crie widgets para iBooks Author com o iAD Producer” é um artigo do blog PageLab

iBooks desktop: os livros digitais invadem o Mac

Márcio Duarte, em 10/06/2013. Categoria: Notícias 13

iBooks no finderOs aficcionados por leitura digital e por Macs tiveram uma boa notícia hoje: foi anunciada durante o Keynote da WWDC 2013 uma nova versão desktop do iBooks, o aplicativo de leitura da Apple, antes disponível apenas nos iDevices: iPad, iPhone e iPod Touch. O programa rodará na próxima versão do sistema operacional da Maçã (OS X 10.9 Mavericks).

Não há dúvida que o iBooks é um dos aplicativos de leitura mais avançados do mercado, com bons recursos de compartilhamento de anotações, capacidade superior de apresentação do conteúdo do livro, além de boa seleção de fontes e modos de leitura, mas a novidade é menos relevante sem uma versão para Windows – aqui o limitado Adobe Digital Editions ainda é uma das opções mais populares.

Não que uma versão Windows não possa acontecer. À exemplo do iTunes, que roda com loja e tudo naquela plataforma, é provável que a Apple busque expandir sua loja de eBooks, a iBookstore. A tendência multiplataforma é clara: no mesmo evento foi anunciado que os aplicativos do pacote iWork, como Keynote, Numbers e Pages rodarão na nuvem da Apple, via browser, mesmo no Internet Explorer!

Múltiplos dispositivos

Experiência de leitura integrada, mas só no Mac!

No monitor, leitura fragmentada

De forma geral, a experiência de leitura de eBooks no desktop ainda é muito irregular, restrita à cada plataforma e marcada por sistemas proprietários, que não conversam entre si. Mesmo a dobradinha PDF/Adobe Reader oferece melhor experiência de leitura nesse aspecto, e ainda reina absoluta nos computadores de mesa. Uma ação simples como compartilhar uma anotação via desktop é cheia de empecilhos em um ePUB – experimente criar e compartilhar anotações entre vários dispositivos, de diversos fabricantes, a partir de um mesmo livro digital e sinta todo o drama…

Ainda que não seja o ideal, muita gente por aí lê textos extensos diante de um monitor, e a praticidade de um PDF para tarefas simples como compartilhar notas ainda está para ser desafiada. Um aplicativo de leitura de eBooks gratuito, com recursos de sincronização na nuvem, multiplataforma e capaz de interpretar os melhores recursos do ePUB3, será um enorme avanço para a leitura digital.

O iBooks para desktop é um belo passo nessa direção, mas esperanças maiores residem na iniciativa da Readium Foundation, que recentemente lançou o Readium SDK, um motor de renderização de código aberto para livros digitais em ePUB3 e o Readium.js, uma biblioteca em Javascript para leitura deste tipo de eBook diretamente no navegador: ambos facilitarão muito o desenvolvimento de novos programas de leitura para múltiplos dispositivos e, principalmente, independentes de plataformas comerciais.

iBooks desktop: os livros digitais invadem o Mac é um artigo do blog PageLab